-

Weverton se anima com titularidade e exalta Prass e Jailson: ‘Não posso dar mole’


Titular na campanha brasileira da inédita medalha de ouro dos Jogos Olímpicos de 2016, o goleiro Weverton chegou ao Palmeiras no início de 2018 com a difícil missão de superar os concorrentes de posição, Fernando Prass e Jailson, na busca por uma vaga no time titular do técnico Roger Machado. Após alguns meses de espera, o camisa 21 ganhou a tão esperada sequência entre os 11 iniciais do Verdão e agora espera corresponder à altura para seguir na equipe palestrina.

“O tempo de espera, ainda mais quando você chega a um clube grande e se depara com dois grandes goleiros, poderia ser ainda maior. Vejo como necessário para conhecer o clube e tirar lições de dois caras que tenho o prazer de trabalhar junto. Tenho de ter a humildade de reconhecer o momento deles e aprender. Hoje me sinto bem, feliz, preparado e agradecido pela oportunidade que o Roger tem me dado. Cabe a mim corresponder em campo e ter atuações seguras para passar segurança ao time e aos torcedores”, declarou o arqueiro, recordando o bate-papo que teve com Roger antes do duelo com o Atlético-MG, no último domingo (22).

“A conversa foi natural, assim como foi natural no começo do ano quando o Roger optou pelo Jailson. Eu soube na preleção (que seria titular), foi uma conversa normal e natural. O treinador tem de fazer as escolhas dele, creio que ninguém seja dono cativo da posição, todos querem jogar. Se você analisar o elenco, todos têm condições de jogar, mas infelizmente só jogam 11. Ele falou para eu aproveitar a oportunidade, procurarei fazer da melhor forma possível”, afirmou.

Ciente da rica história de Prass e Jailson dentro do Palmeiras, Weverton mantém a seriedade para ter sucesso no clube. “Isso me motiva, não posso dar mole. A concorrência é muito grande. Começou pelo Jailson, agora o Roger optou pelo meu momento e isso mostra que tenho de estar 100% todo o tempo. Se der mole, tem dois caras prontos para querer o seu lugar”, disse o jogador, que comentou sobre a sua vinda ao Verdão no começo da temporada.

“Tudo o que eu conquistei antes de vir ao Palmeiras me ajudou a chegar aqui. A partir do momento em que cheguei, eu era só mais um. Eu não tinha história nenhuma no clube. A história que fiz me credenciou para chegar até aqui, e eu sou grato por isso. Mas eu tinha de lutar muito para conquistar o meu espaço, ainda mais com dois caras como Jailson e Prass. Eles são grandes caras e também lutaram muito para conquistar o espaço deles”, analisou.

Por fim, Weverton agradeceu o carinho recebido pelos torcedores palmeirenses. “A torcida tem me dado um feedback legal nas redes sociais, tem sido importante para mim. Preciso mostrar que eu tenho capacidade de ajudar e de fazer um bom trabalho. Este começo está sendo legal e espero cada vez mais ter carinho e reconhecimento”, finalizou.
Share on Google Plus

About Vinicius Santos

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário