-

Keno revela bronca, mas aprova cobranças de Roger Machado


A derrota em casa contra o São Caetano, ainda na fase de grupos, não mudou muita coisa na rotina do Palmeiras e em nada interferiu na campanha da equipe no Campeonato Paulista. Mas, para o atacante Keno, o desempenho abaixo do esperado naquele dia foi fundamental para a sua recuperação no Palmeiras.

Depois daquele jogo, o técnico Roger Machado chamou o atleta para uma conversa. Nas palavras de Keno, um "esporro" que foi fundamental para o momento vivido por ele atualmente.

– O Roger vem cobrando muito. Ele sabe da minha qualidade. Depois daquele jogo contra o São Caetano ele teve uma conversa comigo, (disse) que eu não fui bem, que ele conhece meu potencial e que eu posso dar mais. Botei isso na cabeça, treinei mais forte para quando chegasse a oportunidade que ele me deu eu poder ajudar minha equipe – disse o atacante, em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira, na Academia.

– Foi uma cobrança para me incentivar mais ainda. Ele sabe da minha qualidade e do meu potencial. Ele me deu um esporro, mas sabia que eu poderia ajudar a equipe. Não podia ficar de cabeça baixa. Cheguei em casa, conversei com a minha esposa, fiquei um pouco cabisbaixo, mas voltei para treinar mais forte porque aquela cobrança foi para me levantar... Ele cobra dos jogadores que sabe que tem qualidade. Fico feliz dele estar no meu pé o tempo todo porque posso dar mais para a equipe – explicou Keno.

Dentro de campo, Keno vem sendo um dos destaques da equipe. Na ausência de Miguel Borja, convocado para a seleção colombiana, ele assumiu a posição de titular e teve boas atuações na goleada por 5 a 0 contra o Novorizontino e na vitória por 1 a 0 diante do Santos.

No último sábado, inclusive, Roger Machado reconheceu o bom momento do atacante e o elegeu como o destaque palmeirense no clássico. Mas o atleta mantém os pés no chão ao projetar uma sequência na equipe.

– Se eu me sinto titular? Pretendo me firmar na equipe, se eu não me firmar com a volta do Borja vou sair de cabeça erguida porque estou fazendo um bom trabalho. Eu sei que se o Roger me tirar para colocar o Borja eu tenho de estar de cabeça erguida porque o Borja saiu porque foi para a seleção. Eu tenho de trabalhar mais forte, não posso abaixar a cabeça porque oportunidades vêm e voltam – afirmou.

Semifinalista do Paulistão, o Palmeiras está a um empate de confirmar a sua classificação para a final do torneio estadual. Em 2017, nesta mesma parte da temporada, o Verdão acabou surpreendido pela Ponte Preta e se despediu da disputa pelo título.

Para Keno, o Verdão da atual temporada está mais encaixado justamente pelas mudanças relacionadas ao ano anterior.

– Muitas coisas mudaram, a forma de jogar, um ajudar o outro. Ano passado a gente não via isso. As coisas que o treinador pedia pra gente fazer no treinamento a gente não fazia no jogo. Isso faz a diferença. O que o Roger pede para fazer nos treinos a gente faz, e a gente consegue manter no jogo também – declarou.

Share on Google Plus

About Vinicius Santos

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário