-

Cuca vê Borja em evolução e defende o colombiano das críticas


O Palmeiras e o técnico Cuca não vêm medindo esforços para proteger Borja das críticas. Neste sábado, após a vitória por 1 a 0 sobre o Grêmio, no Pacaembu, o treinador citou o jogador em sua entrevista ao menos três vezes e se disse satisfeito com a evolução do camisa 9. Quando foi questionado sobre o que faltava para o atacante render tudo que dele se espera, especialmente pelo valor investido pelo clube - pagou cerca de R$ 33 milhões para tirá-lo do Atlético Nacional-COL -, fez uma defesa mais enfática.

– Esse que é o detalhe. Vocês vão me desculpar, mas tudo em torno do Borja é 35 milhões. Se tivesse pago cinco milhões, ninguém falava nada. Mas com foi a maior contratação (da história do clube), todo dia, o coitado apanha. Ele apanha atá quando não joga. Eu deixo de lado o que ele custou. Se custou, é porque fez por mercer. Mas se o Palmeiras, hoje, abrir o bico e falar em vender o Borja, ele recupera 35, 30 (milhões), não sei... Perde um pouquinho, ou ganha. Ele tem um jogador que vale isso, pelo que fez na Libertadores e nos campeonatos passados. Agora, a gente tem de ter paciência e dar a ele sequência, se não direto, entrando nos jogos, como ele tem feito.

Na vitória sobre os gaúchos, o jogador teve excelente oportunidade de balançar as redes de cabeça, mas perdeu.

Cuca elogiou a participação não apenas de Borja, mas de todos que saíram do banco de reservas. De olho no confronto diante do Barcelona-EQU, quarta-feira, pelas oitavas de final da Libertadores, ele utilizou uma formação com poucos jogadores que vêm sendo titulares, exceção a Fernando Prass e Zé Roberto.
– Não diria só o Borja. O Mayke, na minha visão, foi um dos melhores. Luan, Bruno Henrique... o que jogou o Zé no meio-campo? O Michel... O Erik perdeu o gol, mas ajudou muito. Ganhamos opções e isso é importante. Ganhamos o jogo nas opções – destacou o treinador, que já projetou o duelo com os equatorianos, pelo torneio sul-americano.

– Agora no Equador é outro tipo de jogo. Fomos ver o clássico entre Emelec e Barcelona, um time rápido, que espaça bem o campo e usa a velocidade. Temos de nos preparar bem. Pelos que nos falaram, é um estádio grande, cerca de 70 mil pessoas, a cidade já está respirando o jogo. E nós agora vamos respirar este jogo de quarta-feira.
Share on Google Plus

About Vinicius Santos

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário