-

Fabrício chega para "mudar imagem" e não escolhe posição no Palmeiras


Dez segundos de explosão que ainda marcam a carreira de um jogador. Depois de passar pelo Cruzeiro e ser apresentado pelo Palmeiras, Fabrício ainda convive com a rotina de responder perguntas sobre a sua saída do Internacional. Em abril de 2015, o atleta ofendeu torcedores do Colorado no Beira-Rio e acabou expulso pelo árbitro. 

Agora com a camisa 16 do Verdão, ele deu explicações sobre o ocorrido em Porto Alegre e falou sobre o seu temperamento. Envolvido na troca por Robinho com o Cruzeiro, ele fica no Palmeiras até dezembro de 2017.

– Aconteceu no Inter o que não podia acontecer, uma coisa de dez segundos. Me exaltei com poucos torcedores, pedi desculpa para quem tinha de pedir, me arrependi na hora, peço desculpa até hoje. Essa é a minha maneira, sei que não agi certo, mas aconteceu. É passado. Estou focado. Que não aconteça nunca mais, nem comigo nem com outro jogador – afirmou o Fabrício, relembrando também um episódio contra o Verdão, na reta final do Brasileirão de 2014.

– Isso não é bom para a imagem do jogador. Pedi desculpa, me arrependi. Aconteceu. Tive uma briga com o Bruno Cesar, tinha acabado de fazer o gol, fiz o gol da vitória. Nem fiz nada, só de ter ido para cima fui expulso. Não aceitei da maneira que foi. É futebol, não sou desleal com ninguém. Não dou carrinho para machucar. No momento achei que não era válido. Mas não pode acontecer também. Tem de ter cabeça fria – completou.

A contratação de Fabrício foi um pedido de Cuca. O treinador do Palmeiras conversou com o atleta antes do acerto, postura que já havia sido adotada pelo comandante nas outras contratações antes do início do Campeonato Brasileiro.

Em outro centro do futebol brasileiro, o jogador de 29 anos fala em aproveitar o período "em casa" para mudar a imagem.

– Sempre quis jogar em São Paulo, num time grande, nasci aqui. São Paulo e Rio de Janeiro são onde o jogador aparece mais. Quero focar para fazer um bom campeonato, mudar minha imagem. Às vezes não assistiam muito o Inter e falam que o Fabricio é isso ou aquilo. Se não fosse bom de grupo, não teria oportunidade de ir para o Cruzeiro e hoje estar no Palmeiras.

A ideia de Cuca na montagem do novo elenco palmeirense é ter em mãos um time versátil, com atletas que possam desempenhar mais de uma função tática. Fabrício, que pode jogar de lateral, volante e meia, diz não escolher posição.

– Se colocar de lateral, vou jogar de lateral; se colocar de meia, vou jogar; se colocar de volante, vou jogar. Só quero estar ajudando. Quem chega quer jogar, respeitando o treinador e os companheiros. Esperei dois anos no Inter para poder jogar. Isso aqui é um grupo, quando ganha um ganham todos. Mas claro que quero jogar – acrescentou.



Fonte: Globo Esporte
Share on Google Plus

About Vinicius Santos

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário