-

Palmeiras pede 'tempo', e torcida entende recado com apoio


O elenco do Palmeiras está incomodado. O quinto jogo sem vitória na temporada - empate sem gols com o Santos, neste sábado - deixou o grupo de jogadores reticente. A cobrança interna, no entanto, é maior que a externa; surpreendentemente. Diante do rival de Vila Belmiro, a torcida demonstrou apoio no primeiro momento de instabilidade deste ano de 2016.

A principal torcida organizada exibiu duas faixas. Uma de apoio (‘Estamos juntos') e outra evidenciando o que irá gerar as cobranças posteriores (‘Libertadores é obsessão'). Em nenhum momento do clássico, os jogadores e Marcelo Oliveira receberam críticas e vaias das pouco mais de 23 mil pessoas que estiveram no duelo.

A paciência dos torcedores agradou. O goleiro Fernando Prass, por exemplo, pediu ‘tempo' para Marcelo Oliveira e a equipe encaixarem um bom futebol. Com o empate do último sábado, o Palmeiras soma cinco partidas sem vencer na temporada - quatro pelo Paulista e uma pela Libertadores (empate por 2 a 2 contra o River Plate-URU, na estreia pela etapa de grupos do torneio).

"Falta um pouco de tempo para o treinador trabalhar. Não dá para se fazer tudo o que quer fazer. Questão de finalização, trabalho de passe, faz tempo que não fazemos um trabalho de finalização. É um dos problemas que temos, mas não fugimos da nossa responsabilidade", discursou o goleiro.

"Não podemos ficar desesperados, mas também não podemos ficar dizendo que é começo de temporada. Tínhamos que ter uma pontuação melhor e um desempenho melhor também, mas acho que estamos conseguindo entrar nos trilhos", acrescentou Prass, principal líder entre os jogadores.

Enquanto o camisa 1 se mostra paciente, Dudu cobra o elenco por uma reação imediata. "Temos que conseguir as vitórias e voltar a jogar bem. Precisamos disso. O campeonato já está passando, e na Libertadores empatamos um jogo que poderíamos ter vencido. É trabalhar cada vez mais focado que a gente vai melhorar", analisou.

O elenco demonstra apoio, e Marcelo Oliveira agradece. O treinador negou qualquer mal estar com o grupo e garante que o Palmeiras apresentará um nível melhor de futebol nas próximas semanas.

"Estou muito feliz. O Palmeiras não me dá qualquer motivo para queixa, tenho todas as condições de trabalho aqui. Precisamos de alguns ajustes para enfrentar. Hoje (sábado) era uma boa chance de dar uma desabrochada com a vitória", lamentou o treinador, tranquilo quanto à pressão.

"O que me sustenta é o trabalho e o bom ambiente. Os jogadores trabalham muito, quem fica fora entende que a concorrência é grande. Agora é a hora de a gente desabrochar de vez", finalizou o treinador.
99 visitas - Fonte: ESPN
Share on Google Plus

About Palmeiras WebTV

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário