-

Sem Dudu, Palmeiras tem trabalho para remontar o sistema ofensivo


Sem poder contar com Dudu pelas próximas quatro rodadas do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras começa a quebrar a cabeça para encontrar uma solução para faça o time superar a ausência do seu principal destaque ofensivo nas últimas rodadas.
 

Autor de dez gols e 12 assistências na temporada, o atacante cresceu de produção justamente após viver seu momento mais negativo com a camisa alviverde. Contratado como um dos principais reforços do Verdão para 2015, ele desperdiçou cobrança de pênalti na primeira decisão do Paulistão e acabou expulso na segunda final, vencida pelo Santos.
 

Com o episódio superado, Dudu virou peça de destaque na ascensão palmeirense após sofrer com grandes cobranças, principalmente depois da chegada de Marcelo Oliveira. Dentro de campo, além da postura mais calma, ele foi decisivo dando mais versatilidade ao sistema ofensivo do Verdão, atuando como ponta ou como armador mais centralizado – esta última função exercida com destaque depois da entrada de Gabriel Jesus na equipe.
 

Para preencher essa lacuna, Marcelo Oliveira terá de analisar as opções no elenco palmeirense. Além da formação 4-2-3-1 tradicional que vinha sendo adotada desde os tempos de Oswaldo de Oliveira, o Verdão voltou a atuar com três volantes e até com dois meias nas últimas rodadas, todas elas com Dudu em destaque.
 

Se o treinador optar por voltar a jogar com uma linha de três armadores, Allione, que entrou na segunda etapa das partidas contra Corinthians e Internacional, e Kelvin, que retorna ao clube nesta sexta-feira após disputar amistoso com a seleção olímpica na França, seriam os candidatos de velocidade pelas pontas, com Rafael Marques correndo por fora como possibilidade para cadenciar mais o jogo. Caso dê preferência aos três volantes, Allione e Robinho brigariam por uma vaga como armador.


 
Escalação com três volantes deixaria Robinho como único armador
 

 – Talvez, como foi feito no Paulista, a indicação seria para ele cumprir no Paulista, porque já cumpriu um na Copa do Brasil e agora vai jogar a Copa do Brasil. Sou leigo e não entendo bem, mas nós temos outros jogadores. Não gosto de lamentar muito quem sai, gosto de valorizar quem vai jogar. Uma boa surpresa foi o Allione. Embora ainda não esteja com ritmo, tentou jogadas importante. Vamos formar um time forte, certamente – afirmou o técnico Marcelo Oliveira, na última quarta-feira.



Com Rafael Marques, Palmeiras voltaria a atuar no 4-2-3-1

Punido pelo TJD da Federação Paulista de Futebol com 180 dias de suspensão por agressão ao árbitro Guilherme Ceretta na segunda final do Paulistão, Dudu viu sua pena ser reduzida pelo Pleno do STJD para seis jogos – ele já havia cumprido duas partidas antes de o efeito suspensivo começar a valer.


Centralizado, Allione pode exercer função semelhante a desempenhada por Dudu

Como também precisa cumprir uma suspensão automática por ter recebido três cartões amarelos, o jogador será desfalque contra Figueirense (dia 12, na arena), Fluminense (dia 16, no Rio de Janeiro), Grêmio (dia 19, no Pacaembu) e São Paulo (dia 27, no Morumbi), retornando ao Brasileirão somente no dia 4 de outubro, quando o Verdão enfrenta a Chapecoense fora de casa, pela 29ª rodada.
Na Copa do Brasil, porém, o atacante está livre para defender o Palmeiras nos duelos contra o Internacional, pelas quartas de final. O primeiro confronto será no Beira-Rio, no dia 23, e a volta no dia 30, em jogo que pode ser disputado no Pacaembu por causa de shows na arena alviverde.



Allione e Kelvin podem ser opção de velocidade pela ponta



Fonte: Ge
Share on Google Plus

About Vinicius Santos

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário